21 novembro 2003

Pacheco é o fim da História

Fui dirigente estudantil, participei e tive responsabilidade directa por greves e confrontos com a polícia, e tive a minha dose de desacatos e "ilegalidades", só que num Portugal em que não havia legalidade, nem liberdade, antes de 25 de Abril. Nessas lutas, conquistou-se aquilo que os cadeados de Coimbra estão a pôr em causa.
É J.Pacheco Pereira quem o diz, em mais um artigo em que apela aos responsáveis universitários, governador civil, operários da Marinha Grande ou do Vale do Ave, vizinhos e fregueses, para chamarem a polícia e reporem a liberdade de circulação de estudantes, professores, fornecedores e empresas com contratos.
Quando Pacheco era dirigente estudantil os desacatos e "ilegalidades" eram libertadores. A luta de Pacheco deu-nos uma sociedade que tem em si todos os meios legais de protesto e reforma, e uma polícia lavadinha para dar cassetada. Pacheco é o fim da história (os argumentos não funcionam ad orbe e Pacheco esquece-se que instigou a intervenção dos Estados Unidos num estado soberano à margem da legalidade internacional, mas também não se pode pedir coerência total a ninguém). Em lugar da Assembleia Magna os estudantes devem dirigir-se á missa da sic para pedir estratégia e táctica adequada. Mas não se esqueçam de comunicar ao governo civil o ajuntamento.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial