25 janeiro 2004

Antologia de O Mal: Hélder Moura Pereira

Meu coração igual ao meu
outro coração, vive comigo,
vive e faz do meu viver
o teu viver. Fui várias vezes
o mesmo, aceitei a primavera,
descontei contas por ti,
ó meu outro coração. És o centro
da minha atenção, pareces-te
tanto comigo, acompanhaste-me
nas fases do meu corpo, fiel
coração. És tu que me recordas
quem eu fui, tenho umas imagens
que toco de longe, vozes, sê
generoso meu pobre coração.

in Um Raio de Sol, Assírio e Alvim, 2000

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial