27 janeiro 2004

O SONHO E O NÍVEL ZERO

Relatório:
Na qualidade de inspector da PIDE/DGS foi-me incumbida a missão de conduzir os interrogatórios a efectuar a um indivíduo com nome de código Abrupto suspeito de pôr em causa a eficácia e o bom nome das instituições prisionais destinadas à retenção de indivíduos que pelo seu comportamento ponham em causa a segurança do Estado.
O referido indivíduo afirmou publicamente que os métodos de tortura praticados por estas instituições não incluíam queimaduras, nem desnudamentos (no caso das mulheres) em desrespeito absoluto por um artigo publicado no jornal oficioso do Estado, que afirmava serem essas práticas correntes e necess ..............
Abruptamente toca o despertador, dou um salto na cama, o coração bate descontroladamente:
Primeiro a angustia, depois o alivio, afinal eu não era inspector da PIDE.
Um pouco mais tarde enquanto tomava o pequeno almoço e lia nos jornais on-line algumas noticias relacionadas com o julgamento de Aveiro e ainda não completamente refeito pensava para comigo: As vezes este Abrupto comporta-se como um autêntico abrupto.

Escrito por Jota

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial