28 agosto 2005

Lê os meus lábios

Não conseguimos hoje entrar em nenhuma das simpáticas terras da província sem, depois dos terrenos queimados e das rotundas, nos depararmos com uns outdoors gigantes de cidadãos que por razões obscuras se quiseram assim dar a conhecer a um vasto público.
Eu percebo que não haja assessor de imagem brasileiro para todos. Mas o facto desta gente não ter amigos nem correligionários capazes de lhes dar um pequeno conselho, diz bem do grau de isolamento autista.
Mãos à obra, Vendas Novas vai continuar ou Vendas Novas vai-se reeencontrar, conforme se tente uma reeleição ou a alternância.
E em muitos lados, é dos meus olhos, ou o lábio descaído, os olhos exorbitados, a face corada dos alcoólicos?

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial