26 dezembro 2005

Natália



Uma criança está fechada no quarto com a avó cega. Outra ficou sozinha a dormir. Outra caiu de uma cadeira com dez metros de altura. Outra não vê, ou se vê não percebe. Mas ver, para algumas crianças e cães, talvez seja o pior dos sofrimentos. Criança é para ser enganada. Traída. Criança é a primeira a faltar no orçamento. Criança abusada, maltratada. Criança adoece na Páscoa o que é natural, mas adoece todo o ano, mesmo no natal, contra as nossas melhores crenças. Dentro de cada criança, como o verme na rosa, como o tumor no tecido indefeso, cresce uma pessoa grande, um abusador, um violento, um indiferente, um velho preocupado com as coronárias a próstata e o funcionamento do mercado. Melhor seria limitar os nascimentos. Apelo à castidade, e não podendo de todo ser, ao sexo não reprodutivo, à infertilidade. Querem um cartão de Natal: laqueação, vasectomia, espermicidas.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial