12 janeiro 2006

Ao vinagre



Não tenhas medo de ficar sozinho. Não azedes mais. Também terás direito à tua mortalha. Até lá, coragem. Não te deixes ir abaixo. Não dês confiança ao sal, a menos que encontres a flor.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial