15 fevereiro 2006

Correr, chorar

Corro de noite por ruas devolutas

contra
o vento

contra
uma ideia
de sofrimento

se alguma certeza deve haver que seja
a tua voz a anunciar

desde que as minhas moléculas
subam tão alto
possam boiar
perto das tuas

ancas
única certeza


0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial