23 fevereiro 2006

Quase Cristiano

Hoje o menino Cristiano não-Ronaldo sabe que a terra é funda e no fundo escuro da terra está a água fria. Ontem só suspeitava. Fugiu às duas mulheres mais velhas da família. Que é do Cristiano? Ai que ouvi a tampa do poço a arrastar. Ele tem lá força para isso. Ai que o meu menino caiu. Salva-me o menino Artur. Não havia cordas. A avó atirou para o poço o tubo da máquina de rega e segurou a pulso o corpo do homem que descia. Encontrei-o. Ai que o menino está morto. Está vivo. Enquanto a mulher mais velha procurava ajuda a avó segurava o Artur que na água funda do poço segurava o menino Cristiano. As mãos da mulher enchiam-se de sangue mas ela sabia que tinha força porque gritava por nossa senhora e quando as forças lhe faltaram gritou pela madrinha que morreu há pouco minha madrinha pede tu à senhora que não deixe o menino morrer . Vieram os homens com as cordas e tiraram o Artur que trazia o menino Cristiano não-Ronaldo. Estava gelado. Mas isso era o menos. As mulheres sabem como se aquecem os que caíram aos poços mais escuros.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial