21 março 2006

O sono da Primavera



O amor sabe
a hora certa
e sabe os fusos
e se se atrasa
é para chegar ao mesmo tempo
sabe a note de coeur
e sabe o fundo
o amor acerta na cor
o amor sabe as palavras
e os gestos
o amor é o quiasma
onde o que vem depois
agora
é o primeiro
o amor sabe as canções
com que se serve
às vezes o amor
sabe demais
cedo demais
adivinha
pressente
antecipa
às vezes o amor
não pode tudo
a primavera encontra-o
adormecido
e nem as lágrimas contra os muros
limpam o sangue
do seu sono
às vezes parece que a morte
vai vencer
e a dor a estupidez
desfiam um terço milenar
mas o amor não aguenta
tanto tempo assim
e no fim o amor
sai vencedor

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial