08 junho 2006

O calor, o Verão.

O Verão é a pior das estações. A nudez dos tornozelos inchados. O ranço. Os cactos triunfantes. A sede. A febre quartã. A bilharzíase. A triquina nos charcos restantes. As gretas da terra. A ureia manchando as paredes da cela. A sede. As borboletas negras ansiando pela desova.
O Verão seca tudo, até a memória dos cheiros das mulheres, o amor que escorria das glândulas apócrinas, no cavado axilar, no períneo.
(versão Isabel)

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial