07 julho 2006

E não se pode exumá-lo




Quando nos preparávamos para saber alguma coisa sobre o nosso primeiro Afonso apareceu o presidente do IPPAR, um Elísio qualquer coisa, a dizer que faltava um papel. Qual papel? A autorização do primeiro-ministro, do cardeal-patriarca, das Finanças, do D. Duarte Nuno, do dr. Jaime Gama e do Madaíl. A antropóloga forense, que já tinha feito uma endoscopia ao nosso primeiro Afonso, fica a saber que se quiser exumá-lo tem de obter autorização do próprio.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial