29 agosto 2006

Outra página




Agora que percebemos as redes neuronais da dependência porque não nos libertamos? Agora que percebemos a nossa irredutível animalidade, porque não estudamos as bases biológicas do comportamento civilizado, do altruísmo, do apego à paz e à conciliação? Agora que percebemos a natureza e a banalidade do mal, porque não estudamos as células e os mediadores celulares destinados ao prazer da música, da leitura, do debate peripatético?

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial