13 outubro 2006

é o que fica de um amor que não acaba assim
desolação de los angeles
a ideia de sermos outros
irreconhecíveis
se nos voltarmos a cruzar,
eu odeio você dito como quem ama,
são paulo em cheio nas luzes da bahia,
porque veio e não veio quem eu desejaria

nada serve de chão às nossas lágrimas
e cantado com as tuas vozes e as tuas notas simples
de baladeiro, roqueiro, sambista,
meu menino lindo,
meu homem que afinal invejas tantas coisas das mulheres,
era o fim, é o fim, mas o fim é demais também.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial