06 dezembro 2006

Dezembro

De manhã caminho neste tempo dual. Ora o céu limpido de dezembro, ora a indesmentível ameaça das nuvens. Nunca entenderei os sinais confiáveis nem saberei ler os preságios. Não devia ouvir a voz que desmente a promessa das palavras.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial