25 janeiro 2007

A cada um a sua matriz. Mas na prisão?



Uma escritora declarou que era contra o aborto por razões uterinas. Aqui está um tipo de razões inegociáveis, das quais, para minha infelicidade, me sinto irremediavelmente excluído. A razões deste tipo só o especialista deve ter acesso. Mas a questão a que a escritora devia ter respondido, se queria contribuir para o debate, era: quais as uterinas razões que a levam a defender, para outras mulheres, a prisão.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial