06 janeiro 2007

A vida, mas não toda

Os do Não, dizem-se os defensores da vida. Na verdade eles não defendem a vida, toda a vida. Uns conheço que derrubam os sobreiros. Nem são pela vida consciente. O embrião humano de 12 semanas é um ser vivo senciente. Pelo menos muito mais senciente que as vacas levadas ao matadouro pelo imoderado apetite da carne, ou as aves e os herbívoros criados como peças de caça nas coutadas. Só uma vida lhes merece apreço e protecção. A dos seres da sua espécie. De preferência brancos, católicos e do hemisfério norte.

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial