07 março 2008

Cinco horas


Jenny Saville


É a hora em que os verdugos obtêm confissões
e em que a noite parece não ter fim
Quando no sétimo círculo os infelizes
pedem água e os demónios
lhes dão líquidos sulfúricos
E nenhum pássaro se atreve
Nenhum sonho embala a humanidade
Nem os peixes imóveis dos aquários
E o empresário tem a morte
natural conveniente
E as putas da ajuda da noite
voltam a casa e os filhos parecem inocentes
parecem dormir parecem ter
futuro

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial