28 julho 2008

O PINacionalismo Russo




Acho que o Estado moderno deve assentar em regras claras, resultantes de consensos e aplicadas de forma universal. A corrupção é a violação destas normas por parte daqueles a quem confiámos a sua aplicação. Teoricamente somos todos contra a corrupção. Mas quase todos somos corruptos se da corrupção retirarmos vantagem e quase nenhum de nós se mobiliza contra a corrupção, excepto se os resultados da corrupção perturbarem de modo sensível a nossa qualidade de vida.
Hoje, o jornal anuncia que 529 hectares de uma zona de Faro onde não se pode construir foram vendidos por mais de 50 milhões de Euros. Uma empresa de capitais russos, através de um escritório inglês, comprou estas áreas do pré parque e do Parque Nacional da Ria Formosa. O presidente da Câmara de Faro disse ao Público que admite que possa surgir na zona um Projecto PIN que “permita ultrapassar as actuais restrições à construção.” Projectos PIN, ficamos a saber, são Projectos de Interesse Nacional. Então a história completa conta-se assim: o interessa nacional proibia a construção na área. Mas se se conseguir um projecto PIN muda o interesse nacional. Os capitais russos e os escritórios de advogados ingleses interpretam melhor o interesse nacional que os paisanos locais. Quem tem 50 milhões para estudar o interesse nacional chega a melhores resultados do que quem nem dinheiro tem para pagar aos cantoneiros.

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial