19 agosto 2008

A dobra do mundo


Bianca Brunner



Vi a dobra do mundo
Estava de costas
única posição por ora consentida
E com as mãos cruzadas segurava o peito
A cabeça caía para trás e ouvia
a cadência metálica do sangue
Quando vi a dobra do mundo
No horizonte
mas apesar de tudo distinta
e a cores
Um quarto de esfera azul debruado a ocre
Azul real (#4169E1)
e ocre (#CC7722)
Escrevo para que saibam
Porque cada um sente consoante
o seu equipamento
Sendo o meu agora tão diferente
frágil poderoso
apopléctico excessivo
Duvido que
àquela hora
outros tivessem visto
a dobra do mundo
assim

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial