30 outubro 2009

A face oculta da Face Oculta

Todos os anos , antes do Natal, uma Tempestade, um Relampago, uma Face oculta. A PJ mostra que isto é um estado de direito, que os poderosos podem ser investigados. O povo rejubila. Na sociedade do espectáculo, o show da igualdade dos cidadãos perante a lei. Dura um mês. Alimenta umas sociedades de advogados, uns juízes e alguns intermediários. Há um incauto que cai. O Bibi ali, o Faria de Oliveira acolá. Há uns sobrinhos que têm de fazer as malas e uns tios que abandonam a ribalta até uma lua mais favorável. Depois chega o Ano Novo e, no terreno real dos Tribunais, a coisa resolve-se, entre a poeira e os recursos.

Etiquetas:

5 Comentários:

Blogger Isabel disse...

e eu que até nem ia discordar, não ia até chegar à etiqueta. Tem dó, Luís, nem como figura de estilo.

sexta-feira, outubro 30, 2009  
Blogger Luís disse...

Isabel, é um verso de uma canção de uma peça de Brecht. Mas é bom que tenhas algumas crenças residuais. Senão como é que ias viver?

sábado, outubro 31, 2009  
Blogger Isabel disse...

Luís, detesto o teu tom paternalista, eu conheço Brecht, e sim ainda acredito nas pessoas, sejam médicos ou juízes.

domingo, novembro 01, 2009  
Blogger Luís disse...

Isabel, peço desculpa sinceramente pelo paternalismo; tens razão, alguma pessoa deve existir entre médicos e juízes.

domingo, novembro 01, 2009  
Anonymous fernando f disse...

Regressa em grande depois do interlúdio eleitoral. Com muita soda e a mesma causticidade.

segunda-feira, novembro 02, 2009  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial