24 novembro 2010

Síndrome de Sansão



Os meninos não deixam cortar as unhas dos pés porque acreditam, no íntimo acreditam, que toda a força lhes vem das unhas dos dedos dos pés. Os dedos dos pés dos meninos não são os dedos dos pés dos adultos (portugueses). Se assim fosse teriam um nome próprio, como gardias ou formias, que quisesse dizer unhas, mas dos pés, dos dedos dos pés. Os meninos são fortes e sobem escadas e dão saltos mortais, vão mais depressa do que o som, correm como o cavalo das asas, leves, rápidos, cheios de energia. Num livro de conselhos aos pais, desses que sai grátis com o sabão da máquina ou com as fraldas, estava escrito, naquela linguagem insuportável do PsicoSá, que as unhas dos pés se cortam a direito, de preferência quando o bebé dorme. Para abreviar era isto que estava escrito. Assim o menino acordou quando a mãe lhe cortava os pés. Isto é os dedos dos pés. As unhas dos dedos dos pés. A direito, enquanto dormia.
O menino nunca mais dormiu e a mãe não percebe porquê.
Tive que lhe contar a história de Sansão e Dalila. Sansão era muito forte e tinha uma longa cabeleira como a do pai do menino. Toda a força lhe vinha dos cabelos longos. Dalila dormia com Sansão. Incapaz de vencer Sansão pela força, o Império seduziu Dalila com a promessa de um lugar na próxima longa metragem. E durante a noite Dalila cortou os longos cabelos do amante adormecido, assim lhe tirando a força e a graça.
Acho que percebeu. Ainda não encontrei nenhuma mulher que não percebesse a desgraça de Sansão. Mas continuam a cortar os pés das crianças, rente às unhas, na calada da noite.


(Para o Planeta Tangerina)

Etiquetas:

6 Comentários:

Blogger Mané disse...

Lindo Luís.

quarta-feira, novembro 24, 2010  
Blogger Jah Akabou? disse...

Telefonica, Barclays, Norges Bank

não lhes cortem as unhas....

quinta-feira, novembro 25, 2010  
Blogger Isabel disse...

e as unhas das mãos? os meninos também não gostam que lhes cortem as unhas das mãos. E sim, essa de cortar as unhas enquanto dormem é uma das primeiras traições, o Freud não se lembrou disso?

quinta-feira, novembro 25, 2010  
Blogger blue disse...

que bom.
:)

quinta-feira, novembro 25, 2010  
Blogger lili disse...

Muito bonito.

É traição, sim, e para se conseguir cortar as unhas aos meninos e às meninas temos de inventar muitas histórias e ser muito meigos. Depois
ficam bem, porque as unhas arranham-lhes muito a cara.

sábado, novembro 27, 2010  
Blogger Esparsa disse...

não me lembro de me tentarem cortar as unhas dos pés - quem sabe a delicadeza da minha mãe nunca a tenha traído -. Lembro-me sim do esforço conjunto de coordenação, paciência e malabarismo a que os meus pais se propunham sempre que me queriam tentar limpar o umbigo. Asseguro-vos, eu dava luta. Cedo percebi que é muito incómodo mexerem-nos por fora, cá dentro.

terça-feira, novembro 30, 2010  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial