05 abril 2011

A rapariga desfocada

Nos primeiros anos da crise final um grupo de pessoas, quase todos homens, costumava acompanhar o fotógrafo Franz Lebensmittel nas suas deambulações pelas ruínas das cidades da fronteira. Um deles, de nome Joachim , era completamente desprovido de talento . Na primavera do terceiro ano, uma pastora do Mosteiro de C., precária de Estudos Psicopatológicos, juntou-se durante algum tempo ao grupo e aliciou as amigas, quase todas vendedeiras do mercado de C. Aos domingos, depois da eucaristia, as raparigas começaram a posar para o fotógrafo, primeiro nas ruínas do Banco Central, depois no edifício da Câmara, na linha do Norte após o encerramento da Ferroviária da República e finalmente nos blocos cirúrgicos desactivados do Centro Hospitalar Universitário de C.. Franz fotografava quase só a pastora mas a história simples que hoje queria contar não é a história de Franz , cujas fotografias ainda estão disponíveis no site combatente que ele criou e manteve ao longo dos anos da crise final.
(continua)

Etiquetas:

1 Comentários:

Blogger legivel disse...

Tinha duas fotos de naturezas-mortas mas levaram-mas para serem autopsiadas. Se tudo correr bem (leia-se, se os meus truques resultarem) hei-de enviar a fotografia de uma paisagem que me anda a escapar por ser demasiado tímida.
Gosto dessa rapariga suficientemente desfocada para não lhe adivinhar a cor dos olhos.

terça-feira, abril 05, 2011  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial