23 maio 2011

As eleições espanholas


A espanha votou. As eleições espanholas precederam as portuguesas num contexto económico, social e político que parece anunciar o drama lusitano.
Em Espanha, onde os movimentos de cidadania se mostraram, de forma pioneira, com uma coragem, uma organização e um conjunto de propostas inovadoras, o PP ganhou as eleições locais e autonómicas. O que , nos dias anteriores ocorrera nas Puertas del Sol e em outras praças de Espanha, não teve, em primeira análise, nenhuma repercussão nos resultados eleitorais. A participação eleitoral aumentou. A percentagem de votos brancos e nulos não cresceu de forma significativa. O PP foi o grande vencedor, mesmo em locais onde governava há mais do que um mandato (Madrid) ou pendiam sobre os candidatos acusações fortíssimas de corrupção. Em Valência, Camps e outros suspeitos de corrupção, em julgamento, foram absolvidos nas urnas, assim o dizem.
O comportamento dos espanhóis, em eleições para o poder local e autonómico, tem de ter um significado global. A não ser assim, como explicar que a queda do PSOE tenha sido sistemática? As formações à esquerda do PSOE mantêm votações modestas . Os partidos autonómicos dos País Basco e da Catalunha conservam as posições. Para lá de uma saudável dispersão dos votos em vários partidos ou coligações, um olhar pouco aprofundado não distingue, excepto em casos pontuais, grandes novidades no comportamento eleitoral nem a emergência de novas formações.
- A democracia não se esgota no voto, mas não existe sem ele - disse um dirigente do PSOE derrotado. E teve razão. Na derrota, alguns socialistas parecem recuperar a lucidez. Os espanhóis votaram, com algumas praças ainda ocupadas. E escolheram a direita de Mariano Rajoy, Aguirre, Camps e Cascos.

2 Comentários:

Blogger cão exvadio disse...

habitantes da espanha 46.000.000, votos ao PP 8.500.000. nao votam ao PP 37.500.000 espanhoes.

terça-feira, maio 24, 2011  
Blogger Luís disse...

caro amigo tem razão: não votaram as crianças nem os adolescentes, a maior parte dos emigrantes, 33% dos que podiam votar, 4% que votaram branco ou nulo, todos os que votaram em outros partidos, os cães vadios e , felizmente, alguns cães ex-vadios.

terça-feira, maio 24, 2011  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial