12 setembro 2011

A rentrée da sotaina



O jornal Le Monde de ontem, domingo, noticiava uma forte reacção da Igreja francesa e de alguns meios da direita contra um texto de um manual do programa de Biologia destinado aos alunos com 14 anos. Em causa está uma página sobre identidade de género e orientação sexual. A notícia transcreve reacções coléricas de padres peritos em teoria do género e dessas figuras que oscilam entre autarcas de vilas desconhecidas e secretários locais dos partidos da maioria, mobilizados sempre que questões destas vêm à baila. A rentrée escolar da sotaina política. O texto em questão introduz os conceitos de sexo biológico, identidade de género e orientação sexual. Ao lê-lo assalta-nos a velha dúvida. Porque se agita a Igreja católica sempre que este tipo de questões é abordado, mesmo de forma académica? A convulsão deve ser posta em confronto com a passividade com que a hierarquia convive com a indústria da pornografia, a semi-escravatura de mulheres e até tempos bem recentes, a pedofilia. Há seguramente uma razão para este combate heróico e essa razão deve ser procurada, quanto mais não seja no divã da psicanálise.

Etiquetas:

8 Comentários:

Blogger CCF disse...

Sem dúvida!
Bem dito.
~CC~

segunda-feira, setembro 12, 2011  
Blogger marni disse...

Para mim o motivo do 'combate heróico' é o medo do feminino: corpo e emoção

terça-feira, setembro 13, 2011  
Blogger Isabel disse...

ora bem!

terça-feira, setembro 13, 2011  
Blogger Xico disse...

E o que é a identidade de género? (eu quando tinha 14 anos não tive aulas de educaçãos sexual, e o que nos ensinavam é que os meninos tinham pila e as meninas não tinham).
Agora parece que é mais complicado. Parece que se pode escolher como quem escolhe a religião, a profissão, ou o clube?
Porque raio não se ensina assim:
Quem tem pila é homem (mesmo que não goste). Quem não tem, é mulher (mesmo que goste) Para fazer meninos deve juntar-se a parte de homem com a parte de mulher. A isso chama-se o prato principal. Todas as outras variantes são entradas e sobremesas. Pronto. Porque raio se há-de complicar em definir diferentemnete os que querem ficar só pelas entradas e pelas sobremesas?

terça-feira, setembro 13, 2011  
Blogger Luís disse...

Xico, desculpe a franqueza mas você é um troglodita.

quarta-feira, setembro 14, 2011  
Blogger Xico disse...

Luís,
Está desculpado, até porque está cheio de razão.
É que eu ainda não consegui sair da caverna onde vivo porque a luz desta modernidade toda ainda me cega. Vou fazer um esfoço e o Luís será o meu guia, através do blogue do qual sou leitor com gosto (sem ironia)!

quinta-feira, setembro 15, 2011  
Blogger Ana Cristina Leonardo disse...

o pecado, luís, o pecado do prazer que é o maior de todos. afinal, o cristianismo tem como símbolo um homem/deus pregado numa cruz, caramba! brincamos, ou quê?!

terça-feira, setembro 20, 2011  
Blogger maria disse...

Luís.
A atenção, definitivamente, é selectiva. A igreja católica não se agita, agitam-na, o que não a torna menos morta, o que é válido para a classe média nas etiquetas do Bonirre. Tronco? Que tronco?

Ah Mourão, tanto ofício de corpo presente do caralho, seguido de exclamação.

terça-feira, setembro 20, 2011  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial