11 maio 2007

Um


foto retirada de geracao-rasca


De manhã, nos bons dias Portugal, é possível ouvir falar com a insustentável ligeireza dos seres que acordam para o dia de trabalho. Ninguém ouve verdadeiramente nada. É o tempo do metrourologistas, dos que perguntam se se deve dizer preocupação ou perocupação para bem falar em português. E tempo dos médicos na televisão a venderem margarina , afinal um produto dietético.
A pequena manhã é o único período do dia em que me sinto atento, e em alguns momentos permeável à ilusão da inteligibilidade das coisas.
Aprendo bastante de manhã.
Esta manhã, por exemplo aprendi que a Catarina Furtado foi das primeiras pessoas a acreditar nos três pastorinhos.

ver: Fátima, domingo na RTP1

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial