20 janeiro 2008

Para que serve lutar



O Castor faz cem anos, como tem sido referido com abundância. O canal Arte exibiu recentemente um filme sobre a sua vida e Alexandra Lucas Coelho, num suplemento do Público (9 de janeiro) deu conta de alguns livros recentes, e de edições de revistas que lhe são dedicadas (entre elas a de janeiro do Magazine littéraire, onde Sylvie le Bon de Beauvoir apresenta os Cadernos de Juventude, anunciados para março na Gallimard). Dos materiais difundidos retive uma frase de "Idealismo moral e realismo político":

para que serve lutar se abolimos na luta todas as razões pelas quais tínhamos escolhido lutar?


Uma das vossas avós faz cem anos. Talvez o mais importante fosse lê-la. Ao menos a selecção de 144 páginas que a Folio fez do Segundo Sexo, com o título La femme indépendente. Lê-se num instante e a vossa avó merece. Merecemos todos e todas até a Teresa Sá e Melo (Público de 17.01.08, link não disponível para um artigo teórico onde a Teresa, talvez preocupada com a revoada de leitores que o centenário vai trazer para os textos do Castor, explica que o feminismo da Beauvoir não é o bom feminismo).

Etiquetas: ,

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial