05 outubro 2008

Uma Páscoa


Como toda a gente fui criança e feliz porque a minha irmã dançava vestia fatos da dama antiga encantava serpentes lia em línguas estrangeiras a doçura cantabile das tardes da Páscoa dos cristãos quando mas como é que podíamos saber a Páscoa e os cristãos estavam a acabar. E então inesperadamente no princípio do verão num dia de férias a minha irmã acordou tarde e quando entrou na sala baixou os olhos para esconder o vinco de gravidade que marca mas como é que podíamos saber a adolescência

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial