20 fevereiro 2009

Ashes to ashes


Eva Rubinstein


o medo ao medo ao cão as vísceras do cão
à luz as criaturas da luz e à terra os vermes
nematelmintas

cada coisa no seu lugar como dizia a dona Isménia
-e até os nomes há que vigiar
pois na escrita pública espreita sempre um louco
acreditando
que no fundo de si
no fundo perturbado de si
há uma Isménia e alguém que lhe escreve

Cada coisa no seu lugar

a dona Isménia

que a partir do terceiro ano de magistério acreditou
literalmente
no Juízo Final em todas as praças do Mundo
à mesma hora da noite e na Portagem de Coimbra
com as almas a subir como os foguetes da Rainha Santa

A doença de se julgar Isménia
talvez enlouqueça os leitores de romances
minha avó acreditando que Max du Veuzit
a quem escrevera secretamente
lhe devolvia a carta em livros como La Jeanette
ou La misterieuse inconnue

O que nos perturba são as coisas fora do lugar
O navio dentro da cidade grande título de infância
o feto na trompa o convívio das gerações
o beijo no canto da boca
o cardeal no casino o teratoma no ovário
com ossos dentes e faneros

Etiquetas: , , , ,

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Criar uma hiperligação

<< Página inicial