08 agosto 2009

Emoção


Hannah Starkey

Tenho agora dois motivos de interesse nesta contenda eleitoral e um para acreditar que vou introduzir alguma clarividência na minha vida pessoal. Um é a expectativa no Programa do PSD. O outro pelo post em que Irene Pimentel vai explicar “a forma como se atinge (?) a liberdade, igualdade e solidariedade, que a fazem votar no PS.”


PS (20:00h): Enquanto estamos aqui a falar de Utopias li as listas de candidatos dos nossos partidos do "arco governamental": parece que a Dra Ferreira Leite borrou a pintura. O Preto da mala está na lista de Lisboa. E, em outro registo, completamente diferente mas igualmente espantoso, a militante Celeste Amaro, igualmente em lugar elegível. Já o partido da Utopia possível apresenta por Coimbra a Ana Jorge, logo seguida do Vítor Baptista, o Baptista do costume. Oh Irene, peço desculpa, mas parece quase obsceno discutir utopias quando a realidade é baptista.

Etiquetas:

6 Comentários:

Anonymous irene pimentel disse...

Claramente, o Luís não entendeu nada do meu post. Leia-o outra vez, p.f., e não se deixe levar pela emoção.
Ah! E já agora não tire as frases do contexto.
Relativamente a essa tarefa,para a qual já existe muita gente vocacionada,pensava sinceramente que tinhamos, o Luís e eu, a mesma opinião.

domingo, agosto 09, 2009  
Anonymous irene pimentel disse...

Claramente não entendeu nada do meu post. Leia-o outra vez, p. f., sem se deixar levar pela emoção. Especialmente a parte relativa à forma como da utopia se passa ao totalitarismo.
Ah, e já agora não retire as minhas frases do contexto.
Relativamente a essa postura, assumida por muita gente vocacionada em deturpar as frases das pessoas, pensava que tínhamos, o Luís e eu, a mesma opinião.

domingo, agosto 09, 2009  
Anonymous Irene Pimentel disse...

Claramente não entendeu nada do meu post. Leia-o outra vez, p. f., sem se deixar levar pela emoção. Especialmente a parte relativa à forma como da utopia se passa ao totalitarismo.
Ah, e já agora, não retire as minhas frases do contexto.
Relativamente a essa postura, assumida por muita gente vocacionada em deturpar as frases das pessoas, pensava que tínhamos, o Luís e eu, a mesma opinião.

domingo, agosto 09, 2009  
Blogger Luís disse...

Irene,
Agradeço o seu comentário e peço desculpa por tê-lo publicado em triplicado, mas de facto, não modero convenientemente a moderação.
Eu não retirei as suas frases do contexto. Linkei o seu post, permitindo assim aos meus eventuais leitores o acesso integral.
Relativamente à participação em blogs de combate desenvolvi a minha opinião no post de hoje de manhã. Sobre a utopia, prometo reler com toda a atenção tentando que a imagem do Baptista não me embacie a visão.

domingo, agosto 09, 2009  
Blogger Luís disse...

Irene,
Já reli.
Não retiro uma linha.
A Irene colabora num carro de combate do Partido Socialista que não me parece particularmente brilhante e onde surgiu um "post totalitário" do qual não se demarcou. Quis explicar o porquê do seu voto com algumas reflexões sobre a Utopia que, perdoe-me a arrogância, não me parecem muito inspiradoras e acabou com uma promessa: "deixarei para um futuro «post» os argumentos, relacionados com a forma como se atinge (?) a liberdade, igualdade e solidariedade, que me fazem votar no PS."
É esse post que eu espero.

domingo, agosto 09, 2009  
Blogger Luís disse...

Irene,
E se por acaso lhe sobrar paciência para coisas miúdas como esta: não se esqueça do Baptista.

domingo, agosto 09, 2009  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial