24 janeiro 2010

Uma máquina narrativa combinatória


[*] quadrado greco-latino (3D)


«Um dos comensais puxou para si as cartas dispersas, deixando livre uma boa parte da mesa; mas não as juntou nem baralhou; tirou uma carta e pousou-a à sua frente. Todos notámos a semelhança entre o seu rosto e o da figura, e julgámos compreender que com aquela carta ele queria dizer «eu» e se preparava para contar a sua história.»

O Castelo dos Destinos Cruzados, Italo Calvino

Etiquetas:

2 Comentários:

Blogger margarete disse...

Calvino rules.

domingo, janeiro 24, 2010  
Blogger ci disse...

neste caso, a imaginação labiríntica e a flexibilidade da leitura e da escrita no seu melhor.

domingo, janeiro 24, 2010  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial