21 fevereiro 2010

Era o Eixo do Mal



Passei uns meses sem paciência para O Eixo do Mal. Ontem, a acédia apanhou-me de novo frente à pantalha. Eu sabia que a longa convivencia torna os casais parecidos e que nas famílias de obesos até o cão engorda. Mas como as coisas mudaram naquela mesa. O senhor de cabeça rapada que era suposto representar as posições de direita, está agora no centro-esquerda. O Daniel Oliveira perdeu o sentido de humor que nunca teve e acentuou um discurso de responsabilidade e indignação exaltada, onde o alvo eram os jornalistas. Parece que estes tinham enlameado uma Comissão de Ética que a Assembleia reuniu para diversão. A Clara é sempre a Clara. A dura realidade matou-lhe o surto de esperança que a todo o mortal é consentido. E o Luís Pedro Nunes estava sem piada e quase tão indignado como o Daniel. O manto cinzento da ideologia respeitável caiu como bolor, como verdete, sobre os ex-malvados, agora já tudo gente engravatada.

Etiquetas: ,

2 Comentários:

Blogger Nuno disse...

Interessante. Realmente é verdade, parece que todos tomaram um banho de ideologia respeitável. Isto apesar dos anti-corpos, que continuam bastante combatentes. Ainda há ali um resquício, uma sombra que nas horas mais apertadas ainda salta para cima da mesa. Para o LPN, a verve do inimigo publico parece esgotar-se. O PML nunca me enganou. Enfim, há ali uma vela cuja chama, antes de apagar-se, brilha com maior intensidade. Mas creia nisto: é o único "debate" que vejo, onde ainda existe sentido de humor e onde parece que ninguém se leva demasiado (sublinho) a sério. Isso é importante.

terça-feira, fevereiro 23, 2010  
Blogger rosa oliveira disse...

eu já te tinha dito de há muito que aquilo não tinha interesse nenhum. não há como a distanciação para rever valores.
agora só falta desamares a pernóstica que é um caso grave de cultura chique. ou de chiquismo cultural.

quinta-feira, março 04, 2010  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial