14 maio 2010

Mulher na Linha 4




O meu pai ouvia no tempo
das cerejas uma canção que assegurava ser
a mulher o futuro do homem
foi das figuras de estilo que demorei
mais tempo a perceber
de facto o presente do homem que eu viria a ser
já era a mulher do eléctrico quatro e depois
toda a vida
a mulher foi o meu presente
e o meu futuro a mulher do eléctrico
anti-musa guerreira ginasta
compassiva a mulher da linha quatro
de período esquisito
sábia criança à medida que os anos
passavam de pele tão nívea
acampada na casa em ruínas curando
as feridas .

Vivi ao ritmo da respiração dessa mulher
com medo de me afastar desse compasso
de dezasseis
assustado com as pausas e excitado
com as acelerações.
Essa mulher ensinou-me a falar
física prodigiosa .
Quase todas as palavras que agora me faltam
aprendi-as
com ela balbuciando sem saber
bem as coisas designadas
e também os sinais de transito
entre as palavras o assombroso sinal
que manda parar e esperar
a palavra que vem.

Mulher da linha quatro que me deste
este futuro radioso espalharás
as minhas cinzas quentes.

Etiquetas:

2 Comentários:

Blogger jagga nathan простй disse...

tétrico...pensamentos de auto-aniquilamento misturados com sementes de saudade e esperança

sexta-feira, maio 14, 2010  
Blogger Chicapardoca disse...

Olhando-se para a nossa Rosa, tão linda e determinada, percebe-se bem porque é que o poeta dizia que la femme est l'avenir de l'homme

sexta-feira, maio 14, 2010  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial