07 julho 2010

Cacau, Germany



Hoje sou da Espanha, desse rapaz que guarda as redes e é como o dragão de S. Jorge quando resfolega. Hoje sou da Alemanha a equipa de meninos audaciosos e do treinador Armani. Sou do Xavi Alonso, do Xabi e do Iniesta a trocarem a bola entre as linhas adversárias. Sou do Bilha, el guaje, encostado à esquerda e com os dois pés apontado à baliza. Sou das crónicas do Molina no Babelia e do Javier Marias quando o descobri. Sou do país que acolheu Valdano, o sudaca. Sou dos cais de Hamburgo, da Floresta Negra, de Bremen, cidade livre do Norte da Alemanha. Sou do Cesc Fàbregas, nome de perfumes. Sou dos rapazes da Tunísia, da Turquia, do Brasil e do Gana que jogam sob o estandarte germânico e na hora patriótica fingem cantar o hino. Sou da Margarete Buber-Neumann, essa que foi prisioneira de Hitler e Stalin. Sou do Botho Strauss e do Siegfried Lenz, do Benedikt Taschen e do Manfred Eicher . Sou do Villa e do Vila-Matas, por supuesto.

Etiquetas:

3 Comentários:

Blogger Luis Eme disse...

eu sou mais daqueles centro-campistas que jogam de "olhos fechados", como acontecia com Paulo Sousa, Figo e Rui Costa (algo que talvez nunca mais aconteça), a quem só faltou um Eusébio no ataque para termos ficado na história...

sim, Xavi, Iniesta, Xavi Alonso e Fabregas, que têm um Villas endiabrado, só falta mesmo "El Nino"...

quarta-feira, julho 07, 2010  
Blogger Isabel disse...

Eu sou da Espanha e da Espanha e da Espanha. apesar do rei e das princesas.E do Torrente Ballester que começa um romance assim: tia Benita dos Caralhos pelos muitos que dizia, posso não ser da Espanha mas, sou certamente da Galiza

quarta-feira, julho 07, 2010  
Blogger claire de la lune disse...

Eu também sou do Vila-Matas, por supuesto!

quinta-feira, julho 08, 2010  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial